jusbrasil.com.br
21 de Setembro de 2018
    Adicione tópicos

    Copa do Mundo de 2014: TCU detecta direcionamento de licitação para o serviço de atendimento ao público

    Tribunal de Contas da União
    há 4 meses

    O Tribunal de Contas da União (TCU) detectou direcionamento de licitação em auditoria realizada para verificar a regularidade do repasse de recursos federais a diversas entidades do Estado de São Paulo. Elas aplicavam os valores recebidos dos cofres públicos em atividades relacionadas à qualificação de profissionais para o atendimento ao público durante a realização dos jogos da Copa do Mundo de 2014. O responsável por associação que contratou convênio também era proprietário de empresa que prestava os serviços.

    Foram fiscalizados convênios celebrados pela empresa com o Ministério do Turismo e com o Ministério do Esporte, num total de aproximadamente R$ 1,6 milhão. Esses recursos se destinavam à execução de projeto de qualificação e aperfeiçoamento profissional para a prestação de serviços no setor de turismo na região do Grande ABC de São Paulo. Os valores também se destinavam à realização do 23º Encontro Nacional de Recreação e Lazer no município de Avaré.

    O Tribunal constatou que o responsável pela entidade, que recebeu R$ 440 mil de recursos do convênio, também era proprietário da empresa contratada para a prestação de diversos serviços, como recrutamento e contratação de professores e elaboração de apostilas. Além disso, as cotações de preço das quais participou a empresa indicaram que houve direcionamento da licitação, pois ela venceu mais de 50% das cotações em volume financeiro e, em alguns casos, foi a única concorrente. Também foram verificadas despesas vedadas pela legislação, como produção e confecção de DVDs sem caráter didático, mas promocional.

    Para o TCU, houve frustração completa do caráter competitivo na cotação de preços e caracterização de fraude à licitação. O responsável foi ouvido em audiência, mas parte das razões de justificativas foram rejeitadas. O Tribunal multou o responsável em R$ 20 mil.

    O relator do processo foi o ministro Aroldo Cedraz.

    Da Redação/Secom

    Leia a íntegra da decisão: Acórdão 889/2018 – Plenário

    Processo: TC 033.167/2014-1

    Sessão: 25/4/2018

    Secom - SG - ca

    Telefone: (61) 3316-5060

    E-mail: imprensa@tcu.gov.br

    0 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)